Veloo Telecom e seu crescimento

logoveloo

O caminho contrário à maioria das empresas. Surgindo no interior de Alagoas e conquistando o mercado com um bom serviço e ótimo relacionamento com os clientes. Veloo Telecom apareceu em União dos Palmares, rapidamente se consolidou e agora já está em outros estados. Em entrevista, o diretor comercial Jairo Ribeiro contou desde a formalização até as projeções de crescimento da empresa.

Formado em Gestão Econômica, ele também possui MBA em Gestão de Projetos, Jairo chegou apenas em 2010 e se juntou aos fundadores Erisson e Valanna Cavalcante. Porém, em seis anos já absorveu a mentalidade da Veloo e fala com propriedade sobre a empresa. “A empresa fez o caminho inverso, ela não começou na capital, ela começou no interior. Dez anos atrás com Erisson e Valanna, que são os sócios-fundadores e hoje são os donos da empresa. Eles iniciaram com um pequeno provedor focado só no varejo, e prestando um bom serviço, acabou que teve demanda para iniciar a ativação do serviço em cidades vizinhas até chegar em Maceió. Foi quando em 2010 ocorreu a minha contratação para que eu assumisse direção comercial e estruturasse o canal corporativo”, disse o diretor comercial.

Antes de Jairo aterrissar na Veloo, foram anos de experiência em várias empresas. Os trabalhos anteriores proporcionaram o reconhecimento pelos fundadores da Veloo Telecom. E após sua chegada, a empresa conseguiu espantosos 900% de crescimento de faturamento, e com crescimento constante.

Falando sobre a relação com os outros diretores, ele comenta que a sinergia que criaram faz muito bem. “É uma relação muito tranquila, saudável. Até pelo tempo que a gente trabalha junto, já se vão aí mais de seis anos. Claro que temos atritos, que são naturais, tratamos com pessoas, na pressão pelo resultado, relacionamento com o cliente no dia-a-dia. Mas a gente consegue manter um clima bacana, inclusive com os colaboradores, e isso tem feito toda diferença.”

Hoje eles atendem clientes residenciais, varejo, clientes de pequeno e grande porte e até o setor governamental. “Onde cabe o serviço de telecomunicações a gente fica junto pra prestar esse serviço”, afirma Jairo. Segundo ele, melhorar o que tem em mãos é tão inovador quanto criar coisas novas. “A gente está sempre trabalhando com inovação, não lançando produtos novos, mas tentando melhorar o que já existe através de recursos tecnológicos que visem uma melhor qualidade e velocidade que o mercado pede.”

Jairo fala com orgulho dos bons negócios que consegue costurar, e os considera como vitória. “Nós conseguimos estreitar laços com Justiça Federal, Ufal, Tribunal de Contas, e conseguimos uma ampliação no contrato do Ministério Público também, que é um cliente muito exigente. Vamos atender a todos os pontos dele (MP), todas as comarcas e fóruns no interior, e conseguimos dar inicio à muitas outras grandes negociações no setor público e privado. A empresa na contramão da crise, praticamente vai ter um crescimento na casa dos 30%.”

Quando perguntado sobre onde vê a Veloo em dez anos, Jairo evita fazer alguma projeção por conta da constante evolução da tecnologia. “Há dez anos se vendia uma velocidade de 64kbps que na época era considerado banda larga e era o que tinha de mais moderno. Então há dez anos ninguém podia imaginar que hoje estariam com velocidade na casa de cliente com 100 mega banda larga, 50 mega banda larga. Então esse setor é muito dinâmico”. Ele porém, fala das pretensões da Veloo. “A gente pretende continuar no mercado, talvez em uma operação a nível nacional. Porque hoje já é realidade atuar fora de Alagoas, já temos base de clientes em Sergipe, Pernambuco, Bahia, então é um cenário muito positivo que se desenha”. No entanto, Jairo prefere ter calma quanto às oportunidades que surgem. “Se a gente tiver a consciência que conseguimos manter isso de uma forma que dê para abranger outros estados, a gente vai. Mas se a gente achar que será um passo maior que a perna e iniciar uma operação em um local que a gente não tenha segurança de prestar um bom serviço nem ter um relacionamento bacana a gente prefere recuar”, confessa o diretor comercial.

Com a experiência de quem passou por várias empresas, Jairo explica que na maioria das vezes a concorrência é desleal. “O mercado é muito feroz, então a gente tem que estar sempre no limite da perfeição pra poder conquistar o espaço que a gente espera.” Ele, porém, fala que os problemas não vêm apenas externamente. “Além do mercado e da concorrência que às vezes é desleal, a gente tem brigado bastante para internamente dar uma melhorada para acompanhar o mercado”.

Perguntado sobre o cenário de TI, Jairo deu uma opinião de quem entende o que está acontecendo. “Se você for ver os indicadores do setor de tecnologia, o TI tem avançado comparado a outros de outros setores. Então tem espaço para muita gente. O setor de TI tem se profissionalizado bastante de uns anos para cá e tem encontrado o seu espaço. Até porque a internet é o carro chefe dentro das organizações. As empresas estão dando mais importância a ter um profissional de TI lá dentro que faça uma gestão que permita que tudo funcione bem.”

jairoveloo
Diretor Comercial, Jairo Ribeiro e Diretora Financeira, Valanna Cavalcante

Ele falou da importância das associações e do Arranjo Produtivo Local de TI em Alagoas (APL de TI). “Eu mesmo já fiz parte do comitê gestor da Assespro-AL e já somos associados há cinco anos. Ela representa bem o setor de TIC aqui no estado. É importante essa representatividade, é muito mais fácil ser representado de forma coletiva do que individual. Acredito nas pessoas que ali estão, são pessoas sérias e comprometidas com o setor de TI no estado de alagoas e junto com o APL de TI entendemos que nós podemos conseguir a linha de crescimento que estamos tendo nos últimos anos.”

 Finalizando a conversa com Jairo, ele dá umas sugestões e cita a importância do Polo Tecnológico. “Existe uma briga muito grande que é o término do Polo Tecnológico no Jaraguá que depois de muitos anos, no final do último governo conseguiu dar início. A luta é muito grande porque envolve muitos outros interesses, mas seria de suma importância que houvesse a conclusão desse Polo em Alagoas. E é importante sempre estar perto do governo para reforçar e de dar importância às empresas locais.”

Ascom Assespro-AL