Slum retira toneladas de lixo de galeria na Gustavo Paiva

13230898_984717068290912_1483743140_o-1024x768
Manutenção e limpeza de galeria estão sendo realizadas por equipes da Slum e da Seminfra. Foto: Lucas Alcântara/ Ascom Slum

Inúmeras garrafas PET, sofás, cadeiras, geladeira e outros materiais classificados como lixo domiciliar. Descartados de forma inadequada pela população em vias públicas e canais de Maceió, estes resíduos foram a causa da obstrução registrada na galeria de águas pluviais que passa pela Avenida Comendador Gustavo Paiva, no bairro de Mangabeiras. Lá, uma operação conjunta foi iniciada pela Prefeitura para resolver o problema que incomodava os moradores da região em decorrência de transbordamentos, sobretudo em períodos chuvosos. Com a abertura da galeria nesta quinta-feira (12), cerca de 20 toneladas de lixo foram retiradas.

De acordo com o diretor de operações da Superintendência de Limpeza Urbana de Maceió (Slum), Pablo Ângelo, a obstrução se deu pela quantidade de lixo descartado no canal que fica próximo à Gustavo Paiva, situado na rua que dá acesso à Grota do Cigano e que deságua na galeria onde o problema foi registrado. “O canal é limpo com frequência, mas o acúmulo volta a ocorrer em decorrência do descarte inadequado. Como vimos, materiais recicláveis e até utensílios domésticos foram jogados e, pela quantidade de lixo, ficaram compilados em um determinado ponto, gerando a obstrução”, explicou o diretor.

13223603_984719651623987_1492794798_o-1024x768
Resíduos descartados inadequadamente causaram obstrução da galeria. Foto: Lucas Alcântara/ Ascom Slum

Além da Slum, que está coletando todos os resíduos, equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Urbanização (Seminfra) também estão envolvidas na operação. Para que o problema fosse resolvido, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) desviou o fluxo de veículos pela Rua Desembargador Valente de Lima, já que um trecho da Gustavo Paiva teve que ser escavado para a abertura da galeria. A interdição é de aproximadamente um quilômetro, entre o Santuário Virgem dos Pobres e o Viaduto Empresarial João Lyra, onde 40 agentes da Slum e da Seminfra estão trabalhando.

Com a desobstrução e a retirada do lixo, a expectativa é de que a operação seja concluída até o sábado (14), incluindo a recuperação do pavimento onde o serviço está sendo realizado. “Sabemos do transtorno trazido por operações complexas como esta, mas é um trabalho necessário e é uma ação emergencial, principalmente pela proximidade do período mais denso da quadra chuvosa. A manutenção e limpeza da galeria serão concluídas, acabaremos com o problema dessa região, mas precisamos da colaboração da população para que não volte a acontecer”, completou Pablo Ângelo.

13230926_984717094957576_81089649_o-1024x768
Gestores da Slum e da Seminfra estão acompanhando os serviços. Foto: Lucas Alcântara/ Ascom Slum

Fiscalização

Além da limpeza e manutenção da galeria, a equipe de fiscalização da Secretaria Municipal de Proteção ao Meio Ambiente (Sempma) constatou, durante os trabalhos na Gustavo Paiva, o lançamento irregular de esgoto na galeria de águas pluviais que fica no acesso à Grota do Cigano. Com as chuvas do início desta semana, houve extravasamento de efluentes da rede de esgoto em direção às galerias de águas da chuva.

Como se trata de efluentes originários de esgoto hidrossanitário, a Companhia de Abastecimento e Saneamento de Alagoas (Casal) foi notificada e autuada por descumprir o Código Municipal de Proteção ao Meio Ambiente, regido pela Lei 4.548/96, devido à situação flagrada pela Sempma na Grota do Cigano e o caso será apurado para descobrir a origem e os prováveis geradores desse lançamento irregular.

Lucas Alcântara – Ascom Slum