Secretário defende extinção de torcidas organizadas em Alagoas

coronellimajunior

O Secretário de Segurança Pública de Alagoas, coronel Lima Junior, afirmou em entrevista à TV Gazeta, nesta segunda-feira (10), que as torcidas organizadas deveriam ser banidas dos estádios.

“O conflito que nós vimos no estadio de futebol ele se replica em várias partes da cidade. [Deixaram] de ser torcidas organizadas para serem bandidos que, inclusive, se encontram fora dos estádios para cometer delitos e se digladiarem”, falou o secretário.

As torcidas já estavam proibidas de ir aos jogos com identificação dos grupos organizados, mas segundo Lima Junior a decisão precisa ser mais radical e definitiva. “Tem que acabar com esses rótulos de Mancha Azul e Comando Vermelho”, disse Lima Junior.

Presença da polícia
Ainda segundo o delegado, 45% do efetivo militar havia sido deslocado para garantir a segurança no clássico CSA e CRB, realizado no último domingo (8), no Rei Pelé.

“Lá tinhamos 300 militares. Chegou a hora de avaliar a presença da segurança pública em eventos privados. A segurança não pode deslocar parte do seu efetivo para esses eventos. Tanto a Polícia Militar, Civil, Bombeiros e Perícia fazem a segurança pública. A partida de futebol é um evento privado”, disse o secretário.

“Quem criticou ou não estava lá ou só olhou pela TV. Tinhamos um planejamento operacional para 15 mil torcedores, mas estimamos que tinha mais de 20 mil no estádio”, explicou.

O secretário também explicou a ausência de um delegado na partida do último domingo (10). “A ausência do delegado é justificada porque eles estão em plantão na Central de Flagrantes, por causa da greve da Polícia Civil (PC)”, falou Lima Junior.

Prisões
Na última segunda-feira (9), quatro pessoas suspeitas de terem participado da confusão no Rei Pelé foram presas. Segundo a polícia, todos são torcedores do CSA e foram identificados pelas imagens do sistema de segurança do estádio e dos veículos de comunicação. A polícia não informou se eles integram alguma torcida organizada.

Ainda de acordo com o secretário, mais pessoas serão presas. “As inteligências começaram a trabalhar no caso e chegamos a essas pessoas que participaram. Não vamos descansar enquanto não apresentarmos todos aqueles que participaram daquela cena inconcebível no estado de Alagoas”, explicou.

G1 AL