Polícia prende 3º suspeito por morte de fundador da Mancha Verde

A polícia prendeu o terceiro homem suspeito de envolvimento na morte de Moacir Bianchi. O fundador da Mancha Verde, uma das torcidas organizadas do Palmeiras, foi assassinado em março deste ano.

O suspeito é um taxista, dono do carro branco gravado na cena do crime. Para a polícia, ele agiu junto com os dois assassinos, que já estão presos, informa o G1.

Bianchi foi assassinado depois de sair da antiga sede da Mancha. Ele tinha se reunido com um grupo de diretores da torcida organizada enquanto os sócios protestavam do lado de fora.

Depois da reunião, o taxista foi chamado para um serviço. A polícia já sabe que não era uma simples corrida para transportar passageiros. Segundo a investigação, ele teria que seguir Bianchi e, no meio do caminho, fazê-lo parar. Isso facilitaria o ataque.

A polícia chegou a suspeitar do ex-presidente da Mancha Anderson Nigro, mas não conseguiu encontrar provas contra ele. Por enquanto, os três suspeitos do crime cumprem prisão temporária.

Presos

O primeiro preso foi Marcelo Ventolla, o Marcelinho. Um vídeo gravado em 18 de julho mostra o momento em que os investigadores dominam todos que estão dentro de um clube em Osasco, na Grande São Paulo. Em seguida, levam Marcelinho até a viatura.

Outro suspeito, Rafael Martins da Silva, o Zequinha, foi preso em Itanhaém, no litoral sul, no fim de agosto.

A investigação vai apontar para a Justiça a participação de cada um no dia em que Bianchi sofreu a emboscada, na Avenida Presidente Wilson, no Ipiranga.

Para a polícia, o taxista bloqueou o carro da vítima, que vinha logo atrás. Zequinha dirigia o terceiro carro. Marcelo Ventolla desceu, disparou 22 tiros com duas pistolas e correu. Segundo a investigação, Marcelo entrou no táxi logo em seguida e foi embora.

O inquérito está em segredo de justiça. Por isso, o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) não informou se vai apontar quem foi o mandante do crime.

09/09/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *