PGE emite nota em resposta ao Sindicato dos Policiais Civis; Sindpol

Medidas adotas pela PGE se devem ao descumprimento, pelo Sindpol, da ordem judicial que determinou o fim da greve dos policiais civis

977bf03741e8c7acdb0cd307a5e8d8d0_L
“Procuradoria tem a obrigação de defender o Estado, não podendo comungar com o descumprimento de ordens judiciais”, diz Francisco Malaquias. Thiago Sampaio

O procurador-geral do Estado de Alagoas, Francisco Malaquias de Almeida Junior, emitiu nota de esclarecimento sobre as medidas adotas pela PGE em relação ao descumprimento da ordem judicial que determinou o fim da greve geral deflagrada pelos policiais civis do Estado.

Veja a íntegra da Nota Oficial

Em resposta a uma nota emitida pelo Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Alagoas, a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) vem esclarecer que os pedidos de majoração da multa para R$ 200 mil; de prisão do presidente do Sindpol e do bloqueio do repasse das contribuições dos associados foram feitos após o descumprimento da decisão judicial que determinava o fim da greve da categoria.

A PGE é e sempre será sensível ao pleito dos servidores, tendo, inclusive, participado com um representante da reunião que buscou o entendimento para o fim da greve mediada pelo presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas.

Diferentemente do que quer fazer crer a nota do Sindpol, naquela reunião o representante da PGE apelou à diretoria da entidade para o bom senso e a sensibilidade para o momento que Alagoas e o Brasil estão vivendo.

A Procuradoria tem a obrigação constitucional de defender o Estado e suas instituições, não podendo comungar com o descumprimento de ordens judiciais, especialmente aquelas que legam à população sofrimentos desnecessários e um clima de insegurança de vida.

Francisco Malaquias de Almeida Junior
Procurador-geral do Estado de Alagoas

Alexandre Lino – Agência Alagoas