Pesquisa aponta novembro como o mês de menor inadimplência em Maceió

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), realizada pelo Instituto Fecomércio, em parceria com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), aponta que novembro apresentou o menor nível de inadimplência da capital alagoana nos últimos 12 meses, com 12,5%. Na prática, significa que empresários do comércio, instituições financeiras e de crédito estão captando recursos. Já o poder de compra dos consumidores está maior, pois estão com mais crédito porque os consumidores estão pagando suas dívidas.

O levantamento revelou ainda que 41,1% da população de Maceió não possuem dívidas com cartões de crédito, financiamentos ou carnês de loja. Outro indicador é que desde outubro, os maceioenses buscam reduzir mais as dívidas e foi o segundo menor nível de endividamento na capital (58,9%). “Os consumidores de Maceió estão mais contidos e disciplinados no uso do crédito como uma forma de comprar e de pagar contas”, afirmou o assessor econômico da Fecomércio, Felippe Rocha.

O maior endividamento do maceioense é o cartão de crédito (89,7%). Na sequência, os carnês de loja (9,6%) e o crédito pessoal (4,7%). As famílias com renda abaixo dos dez salários mínimos são mais dependentes de serviços financeiros e crédito, pois adquirem produtos por meio do cartão de crédito e são os únicos, na capital, que caem no cheque especial (0,5%), usam cheque pré-datado (0,4%) e utilizam serviços de crédito consignado (2,4%).

Os entrevistados afirmaram que em suas residências existem outras pessoas endividadas. Dos quais 27% estão muito endividadas e 31,8% estão mais ou menos ou pouco endividadas com cartão de crédito, cheques pré-datados, carnês de loja, empréstimos ou financiamentos de carro ou casa.

Dentre as famílias, 58,9% se endividaram ou possuem algum tipo de dívida. Desse percentual, 29,3% estão tendo dificuldades para o pagamento em dia, tendo algum tipo de atraso. Para os 29,3%, ainda foi perguntado se existe algum morador da residência que se encontra na mesma condição, 49% afirmara positivamente.

Dos 58,9%, 12,5% estão inadimplentes. Dos 12,5%, apenas 9,9% terão condições de pagar as dívidas em atraso situação; 38,8% pagarão parcialmente e 42,6% permanecerá nessa situação. A permanência do endividamento e da inadimplência possui um tempo médio de 63,6 dias. Os consumidores da capital preferem parcelar suas compras, em média, por 4,5 meses. A renda, em média, fica comprometida em 28,1%.

A redução geral das dívidas confirma os dados do IBGE. Para o mês de outubro, a Pesquisa Mensal do Comércio aponta um ligeiro aumento de 0,7% nas vendas do varejo. “Os resultados demonstram que, os consumidores de Maceió estão optando pelo consumo à vista em detrimento do uso do crédito como indutor das compras”, explicou Felippe.

O levantamento foi realizado nos últimos dez dias do mês de outubro. Foram coletadas informações a respeito do nível de consumo das famílias por meio da utilização do crédito, o que permite avaliar e prever a capacidade de pagamento dos consumidores e o nível de saturação do consumo por meio da criação de dívidas.

Fecomércio AL

17/12/16

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *