Mestre Benon morre aos 79 anos em Maceió

Mestre era referência com seu Guerreiro Treme-Terra das Alagoas.
Familiares informam que velório e enterro acontece em Murici.

foto_12
Mestre Benon posa com um dos seus chapéus de Guerreiro durante exposição (Foto: Michelle Farias/G1)

O folclore e o Guerreiro alagoano estão de luto por conta da morte do Mestre Benon. Referência do folclore alagoano com seu Guerreiro Treme-Terra das Alagoas, Benon Pinto da Silva (79), um dos Patrimônios Vivo de Alagoas, faleceu, na noite desta quinta-feira (28), em decorrência de uma hemorragia, no Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió,

Segundo a filha do Mestre Benon que o acompanhou no hospital, Maria da Dores Silva, ele foi diagnosticado há alguns dias com Chikungunya, doença que o debilitou o levando a morte.

“Ele vinha sofrendo com muitas dores e há cerca de 20 dias a situação dele piorou. Quando chegamos no hospital de Murici, ele foi transferido com urgência para o HGE porque apresentava uma hemorragia muito forte. Com isso, ele não resistiu”, conta Maria das Dores.

Segundo os familiares, o corpo do Mestre Benon será velado e sepultado, em horário ainda não informado, nesta sexta-feira (28), na cidade de Murici, no interior de Alagoas.

Treme-Terra
Natural da cidade do Cabo, em Pernambuco, Mestre Benon veio morar em Alagoas ainda criança. Foi na cidade de Cajueiro que ele conheceu o Guerreiro, mas foi no bairro da Chã de Bebedouro, em Maceió, com o Guerreiro Treme-Terra que ele gannhou evidência.

Em 2006 foi reconhecido pelo seu trabalho dedicado ao folclore e a cultura de Alagoas como um dos Patrimônios Vivo de Alagoas.

Waldron Costa – G1 AL