Escritora Clara Averbuck relata estupro aos 13 anos e diz: Eu não morava na favela 

Clarah-Averbuck

A escritora gaúcha Clara Averbuck, de 37 anos, escreveu um depoimento em sua página no Facebook em que relata ter sido vítima de estupro aos 13. Ela é autora de livros como “Máquina de pinball”, que virou peça de teatro. Sua obra também serviu de inspiração para o filme “Nome próprio”, protagonizado por Leandra Leal.

“Quando eu fui estuprada por três homens, há 24 anos, aos 13 anos, não tinha funk, eu não morava na favela, eu não estava de shortinho. Foi numa festa de alunos de uma escola particular. Se a culpa dos estupros fosse do funk ou da “cultura da favela”, como li por aí em vários comentários de portal, também não aconteceriam estupros na Faculdade de Medicina, formadora de Futuros Nobres Médicos. A cultura sempre foi violenta com as mulheres. Tem violência pra todos os gostos, de Beatles a Guns and Roses (apenas escutem “Run for your life” ou “I used to love her”). Então, se for pra apontar o dedo, meçam bem se não estão apenas aproveitando pra jogar o preconceito pra onde convém. O problema é enorme, é estrutural, é cultural, independe de classe social ou poder aquisitivo e está em TODOS os lugares”, escreveu ela.

Clarah-Averbuck2
Clara Averbuck é escritora e tem 37 anos Foto: reprodução/ facebook
Clara Averbuck é escritora e tem 37 anos Foto: reprodução/ facebook