Denúncia contra Collor está no escaninho de Teori há 1 ano e meio

Histórico senador é acusado de ter recebido R$ 31 milhões em propina

O senador Fernando Collor de Melo (PTC-AL) durante sessão para votar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, em Brasília (DF) (VEJA.com/Reuters)

A denúncia contra Fernando Collor deve estar acumulando mofo no escaninho de Teori Zavascki. A PGR formalizou as primeiras acusações ao histórico senador em 21 de agosto de 2015. Passado 1 ano e 5 meses, Teori ainda não analisou a peça em que os procuradores apontam R$ 30,9 milhões em propina para a figura.

Em março do ano passado, o processo foi aditado com informações das supostas maracutaias praticadas pela mulher de Collor, Caroline. Coisa de viagem ao exterior paga com dinheiro de bandalhas. Por conta da inclusão, os prazos para manifestações foram reabertos.

E o baile segue com Collor podendo gritar por aí que não é réu na Lava Jato.

Gabriel Mascarenhas-Veja.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *