Defesa entrega passaportes de Joesley e Saud e quer ser ouvida

Os advogados de defesa de Joesley Batista e Ricardo Saud, respectivamente dono e executivo do grupo J&F, entregaram os seus passaportes às autoridades, o que impede, agora, que os dois deixem o país, segundo reportagem da Rede Globo. Batista e Saud tiveram a prisão solicitada na noite desta sexta-feira pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), o pedido de prisão precisa ser analisado pelo ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato na Corte. Janot também pediu a detenção do ex-procurador da República Marcello Miller. A solicitação está sob sigilo – nem a PGR nem o STF confirmam que ela foi feita, atesta o MSN.

De acordo com a mesma reportagem da Globo, a defesa de Joesley e Saud pede para ser ouvida por Fachin antes da decisão do ministro. Se o relator da Lava Jato acatar o pedido de Janot, o acordo de delação premiada firmado entre a J&F e a PGR, que previa imunidade ao empresário e seu executivo, perde validade. Essa possibilidade é prevista no acordo: ele deixa de valer se o colaborador mentir, omitir, sonegar ou destruir provas.

Já as provas apresentadas devem continuar de pé. É assim que pensam ao menos três ministros do STF.

09/09/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *