Cobrança indevida é principal queixa do consumidor alagoano ao Procon

Dos atendimentos em 2016, 17,52% foram por esse tipo de reclamação. Em segundo lugar ficou a queixa por produto com vício.

A Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor de Alagoas (Procon/AL) divulgou neste domingo (8) que o maior número de reclamações contra empresas feitas no ano passado no estado foi por cobrança indevida ou abusiva.

Do total de atendimentos, 17,52% foram por cobrança indevida ou abusiva, com o total de 5.619 de reclamações. Em segundo lugar ficou a queixa por produto com vício, totalizando 5.496 reclamações. A não entrega/demora de entrega de um produto também aparece na lista com 2.056 registros (6,41%) queixas.

Os dados do Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (SINDEC) representam 75,8% das reclamações feitas entre os dias 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2016, correspondendo as 10 principais queixas dos consumidores.

Segundo o órgão, o levantamento serve, além de divulgar aos consumidores, para conscientizar as empresas para trabalharem na diminuição de certos tipos de reclamação.

Na semana passada, o Procon divulgou uma lista com as empresas que tiveram mais reclamações no estado em 2016. A lista contém as 15 empresas mais acionadas no ano.

Confira aqui o ranking completo.

“Coletamos esses dados para mostrar as empresas que algo em sua prestação de serviço está errado. Como divulgamos as empresas mais reclamadas, também temos o dever de informar aos consumidores e fornecedores do que esses atendimentos se tratavam”, explicou o superintendente do Procon Alagoas, João Neto.

Ainda segundo informações do superintendente, o Procon irá dialogar com essas empresas com objetivo de diminuir as queixas dos consumidores.

g1

08/01/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *