Barça não manda astros a premiação da Fifa para priorizar a Copa do Rei

Em dia que Cristiano Ronaldo deve ser anunciado melhor do mundo, Messi, Suárez, Iniesta e Piqué ficam para treinar em Barcelona

O Barcelona não mandará seus principais astros para Zurique, onde ocorre nesta segunda-feira a premiação da Fifa de melhor jogador do mundo. Segundo o comunicado divulgado pelo clube catalão, isso acontece porque a prioridade é a preparação para o duelo contra o Athletic Bilbao nesta semana pela Copa do Rei. Assim, nomes como Messi, Suárez, Iniesta e Piqué, que deveriam viajar para a Suíça, ficaram em Barcelona treinando, enquanto uma comitiva de dirigentes liderada pelo presidente Josep Maria Bartomeu estará na cerimônia de gala que deve coroar Cristiano Ronaldo o melhor do mundo em 2016. O evento, às 15h30 (de Brasília), terá transmissão ao vivo do SporTV.

– O Barcelona agradece à Fifa, ao presidente Gianni Infantino e à toda a sua comissão executiva por todo o apoio recebido pelo órgão para  poder participar do evento desta segunda-feira. O clube expressa seu reconhecimento e apoio aos prêmio da Fifa The Best – disse o clube, através da nota oficial.

Segundo o jornal “Sport”, da Catalunha, o motivo foi outro, e a decisão – de última hora – partiu dos atletas na manhã desta segunda-feira. O quarteto formado por Piqué, Iniesta, Suárez e Messi, que deveria brigar por prêmios, achou que não havia clima para viajar, após o empate deste domingo com o Villarreal, e comunicou a decisão à diretoria, que usou a justificativa da Copa do Rei para explicar a saia-justa. Na Suíça para o evento, o vice-presidente Jordi Mestre deu sua versão ao ser questionado sobre o assunto.

– Os jogadores estão cansados, já tínhamos falado isso no final do jogo com o Villarreal. Não há qualquer problema com a Fifa. Já nos justificamos. Demos prioridade à Taça do Rei. A decisão de não vir não foi unilateral, mas sim consensual. Os jogadores não tomaram esta decisão por sua conta e risco, pois falaram com o clube.

Um dos três finalistas ao lado de Griezmann e CR7, Messi fez mais gols (59 a 55), deu mais assistências (32 a 17),  mas o peso dos títulos conquistados por Cristiano Ronaldo (Liga dos Campeões, Mundial de Clubes e Eurocopa) e sua impressionante produção pela seleção portuguesa (13 convocações, 13 gols, três assistências) já lhe renderam a “Bola de Ouro” e muito provavelmente vão garantir o troféu da Fifa.

De 1991 a 2009, a Fifa entregou o troféu “Melhor Jogador do Ano”, paralelamente à “Bola de Ouro” da “France Football”. Cristiano Ronaldo venceu ambos em 2008. De 2009 a 2015, os dois prêmios se uniram como “Bola de Ouro Fifa”, que foi para as mãos do português em 2013 e 2014. O maior ganhador dos troféus da entidade que organiza o futebol mundial é Messi, que levou a melhor em 2009, 2010, 2011, 2012 e 2015.

ge

09/01/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *