Após surto, Marcelo Cabo cita problema particular e evita perguntas

Técnico que ficou desaparecido entre domingo e segunda e foi encontrado em um motel faz breve pronunciamento e não entra em detalhes: “Assunto está encerrado”

O técnico do Atlético-GO, Marcelo Cabo, fez apenas um breve pronunciamento nesta quinta-feira, no Centro de Treinamentos do Dragão. Ele não quis entrar em detalhes sobre seu desaparecimento entre a madrugada de domingo e a noite de segunda-feira, em Goiânia, e falou apenas que segue “mais forte” no comando do clube. O treinador foi encontrado em um motel da Região Metropolitana e ficou dois dias sem ir ao CT. Sua demissão era dada como certa, porém, a permanência foi definida após reunião na última quarta-feira.

– Bom dia a todos. Quero iniciar meu pronunciamento em forma de agradecimento à diretoria do Atlético-GO, à imprensa e à torcida, que se preocuparam com minha pessoa. Tive um problema de ordem particular, mas conversei com a diretoria, e a gente se entendeu. Quero seguir meu trabalho. A gente segue mais forte ainda – disse o treinador.

Questionado sobre os detalhes sobre seu desaparecimento, Marcelo Cabo se esquivou, dizendo que falaria apenas sobre futebol.

– Quero deixar claro que esse assunto (sumiço) está encerrado. Podemos falar sobre futebol e sobre outros temos. Não vai atrapalhar em nada meu trabalho. Já conversei com diretoria, comissão e jogadores. Estamos num objetivo único, que é o melhor para o Atlético-GO. Minha vida particular pertence a mim.

Marcelo Cabo foi contratado no início de maio do ano passado, quando o Atlético-GO se preparava para a estreia na Série B do Campeonato Brasileiro. O clima era de desconfiança, pois o time rubro-negro tinha sido eliminado na semifinal do Goianão. Porém, a equipe goiana fez campanha brilhante, com 22 vitórias, 10 empates e 6 derrotas e foi campeã com 10 pontos de vantagem para o vice-líder Avaí. Marcelo Cabo foi peça-chave na vitoriosa campanha. Em 2017, ele tem a missão de ajudar a diretoria a reformular o elenco.

ge

19/01/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *