Arquivo Público lança Projeto Alagoanidade nesta sexta-feira (23)

O Gabinete Civil, por meio do Arquivo Público de Alagoas (APA), lança nesta sexta-feira (23) mais um projeto com intuito de despertar o sentimento de amor (pertencimento) dos alagoanos por suas tradições, história e cultura. Trata-se do Alagoanidade, Seu Lugar, Sua História, que acontecerá trimestralmente na sede do APA, ofertando temas relevantes com palestras, exposições, apresentações artísticas e culturais reunindo os mais variados segmentos.

O evento será realizado na sede do APA, no bairro do Jaraguá, defronte do Porto de Maceió, em Jaraguá, a partir das 17 horas. Nesta primeira edição, o evento destaca a cultura popular em Alagoas e contará com as participações da museóloga  Cármem Lúcia Dantas; do presidente da Comissão Alagoana de Folclore, Olegário Venceslau, e da mestra do Patrimônio Vivo Vânia Oliveira. O público será contemplado ainda com apresentações de Zeza do Coco e o Pastoril de Cruz das Almas.

O secretário do Gabinete Civil, Fábio Farias, ressalta a importância do projeto. “É com muita satisfação que o Gabinete Civil, através do Arquivo Público de Alagoas, lança mais esse projeto de fundamental importância no resgate de nossos valores culturais e de proximidade com a sociedade nesse espaço que é o guardião do maior acervo sobre a história administrativa  de Alagoas. São centenas de milhares de documentos desde o início do século XVIII aos dias atuais. O Projeto Alagoanidade visa estimular  a autoestima do alagoano, difundir e potencializar os valores  históricos, culturais e  sociais em nosso Estado”, disse Farias.

Já o secretário Executivo de Política e Articulação Social do Gabinete Civil, Daniel Alcoforado, um dos parceiros da iniciativa, também ressalta a importância do projeto para Alagoas. “O Alagoanidade tem como objetivo promover o sentimento de pertencimento dos alagoanos à nossa terra e ao nosso patrimônio imaterial, disseminando informações sobre personalidades, experiências exitosas desenvolvidas por alagoanos, nosso folclore, danças, artes e religiosidade. Precisamos estimular, especialmente nas novas gerações, este orgulho de ser alagoano”, destaca Alcoforado.

De acordo com Wilma Nóbrega, superintendente do APA, o projeto reforça o compromisso do órgão com a proximidade da população e das instituições, ao lembrar que o APA já promove mensalmente o tradicional Chá de Memória, que discute Alagoas e tem promovido debates com todos os segmentos da sociedade.

“Nesta primeira edição, o evento contará com a Exposição ‘Alagoanidade’ sobre fatos históricos, personalidades  e curiosidades  garimpadas no valioso acervo do APA, que conta atualmente com cerca de três milhões de documentos”, finaliza Wilma.

Ascom – 20/08/2019